EnglishPortugueseSpanish

Depressão no Trabalho e seus Sintomas

Desanimado no trabalho
Lidar com as cobranças, saber se relacionar, administrar bem o tempo e conseguir driblar o estresse do dia a dia, são funções que qualquer profissional precisa encarar com jogo de cintura em uma rotina organizacional e, assim, evitar a depressão no trabalho.

É importante refletir e avaliar conceitos enraizados socialmente e entender a Inteligência Emocional como pilar para uma organização mais saudável.

Lidar com as cobranças, saber se relacionar, administrar bem o tempo e conseguir driblar o estresse do dia a dia, são funções que qualquer profissional precisa encarar com jogo de cintura em uma rotina organizacional e, assim, evitar a depressão no trabalho. O ambiente corporativo é exigente! Todos os prazos, demandas e decisões podem levar à exaustão e quando o profissional não presta atenção aos sinais, todas essas situações cotidianas podem desencadear um quadro depressivo.

O que é depressão e quais as suas possíveis causas?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) a depressão é um transtorno mental que pode ser identificado por características como: 

  • • Mudanças no humor
  • Oscilações entre sentimento de culpa e baixa autoestima
  • Perda de interesse em realizar atividades cotidianas que antes eram prazerosas
  • Perda de prazer
  • Distúrbios do sono ou de apetite

Os sintomas mais frequentes da depressão são:

  • Irritação
  • Queda na produtividade e dificuldade de concentração
  • Esquecimento
  • Indecisão
  • Agressividade e explosões de raiva
  • Problemas para dormir ou insônia
  • Desânimo, cansaço e indisposição
  • Sensação constante de culpa, inutilidade, incapacidade, desamparo e solidão
  • Mudança de peso e apetite
  • Ideias de morte ou suicídio

Mas, o que causa a depressão? Muitas pessoas procuram a resposta pra essa pergunta, mas a verdade é que não há um gatilho único que possa causar depressão.

A depressão pode ser ocasionada por diversos fatores biológicos e psicológicos, inclusive pode ser até mesmo de ordem hereditária. O que se sabe é que ela se inicia com um episódio de grande estresse, porém, mesmo depois da resolução do problema, o indivíduo continua sentindo os sintomas.

No Brasil, a depressão no trabalho tem sido um problema bastante sério. Segundo a Organização Mundial de Saúde, 11,5 milhões de brasileiros sofrem de depressão e é o país com maior índice desta doença na América Latina. 
 
Depressão: uma epidemia mundial

Novamente de acordo com a Organização Mundial da Saúde a depressão é a principal causa de doenças e deficiências no mundo inteiro. Atualmente há mais de 300 milhões de pessoas que vivem com a patologia.

Com um número significativo de casos e uma estimativa nada animadora, as empresas passam a dar mais atenção à saúde emocional dos seus colaboradores. O Brasil está em segundo lugar em perdas financeiras ligadas à depressão no trabalho, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Na prática, isso significa aproximadamente R$ 306 bilhões de reais.

Por conta disso, é cada vez mais urgente investir em uma nova dinâmica para o mundo corporativo e realizar ações que visem o bem-estar do quadro de funcionários da organização. A Inteligência Emocional funciona como uma importante aliada para que os colaboradores saibam administrar suas emoções e evitar a depressão.

A depressão no ambiente de trabalho: como lidar?

Fica a reflexão para os proprietários, gestores e líderes de organizações empresariais: como se comportar em relação a esse cenário tão delicado e em constante crescimento?

O primeiro passo é compreender que a depressão é uma doença e que seus funcionários podem tê-la e que você deve respeitá-los assim como respeita quem não tem. Pronto? Após isso, é essencial conversar com áreas como RH e treinamento e desenvolvimento de pessoas, pois estas devem construir um plano que inclua assistência para colaboradores com depressão. Esse planejamento deve considerar:

  • Ações para manter números positivos da qualidade de vida no trabalho.
  • Avaliação constante do ambiente físico de trabalho.
  • Aplicação e constante avaliação da cultura organizacional.
  • Incentivo e prática de auto feedback e feedback 360°.
  • Treinamento e desenvolvimento de funcionários com cursos, formações, especializações e mais.
  • Plano de saúde para todos que inclua especialidades como terapia, psicologia e psiquiatria.
  • Apoio para buscar ajuda profissional caso seja preciso.
  • Respeito com o funcionário que está em tratamento.

Fora isso, quando o profissional aprende estratégias para desenvolver suas competências emocionais, ele se torna mais realizado e consegue alcançar seus objetivos e metas. Uma organização composta por colaboradores, gestores e diretores que sabem se relacionar, se comunicar de maneira assertiva e que possuem autocontrole, se tornam mais equilibrados e saudáveis – características fundamentais para atingir a alta performance e maximizar resultados.

É importante refletir e avaliar conceitos enraizados socialmente e entender a Inteligência Emocional como pilar para uma organização saudável, que se preocupa com a saúde do seu quadro de funcionários. Existe um paradigma que coloca conhecimentos técnicos e acadêmicos como principais diferenciais para alcançar o sucesso. Fomos estimulados, durante toda nossa formação, a nos tornar profissionais competentes para que fosse possível se destacar.

Porém, além de todas essas competências intelectuais, as habilidades emocionais e comportamentais também precisam ser desenvolvidas e são cada vez mais essenciais para o sucesso profissional e, principalmente, para a saúde das pessoas que compõem uma empresa.

Como a Inteligência Emocional pode ajudar na prática

A inteligência Emocional proporciona ao colaborador a capacidade de administrar melhor as pressões e adversidades da rotina organizacional. Ao entender como suas emoções agem na maneira como você se comportar e se relacionar, é possível criar uma série de habilidades e competências que tornam a vida mais saudável, prevenindo a depressão.

Conheça a Especialização em Inteligência Emocional do Instituto Action Mind, o Desperte-se para Agir – DPA, um treinamento de imersão que é uma excelente forma de trabalhar a evolução pessoal. São 3 dias, em que você poderá entender profundamente sobre esses gatilhos emocionais que geram a depressão no trabalho, aprender a criar e sustentar novas perspectivas, aumentar o nível de controle sobre suas próprias emoções, despertar o potencial das suas capacidades, identificar e experimentar quais são suas verdadeiras motivações, aumentar hábitos energizadores e muito mais!

Saiba Mais.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest